31 dezembro 2016

Amanhã.


Amanhã é só um novo dia.
Cheio de oportunidades como o hoje.
O que tem que mudar não é o ano,  e sim as pessoas, que pedem, mas não querem arregaçar as mangas para lutar por seus objetivos.
Gente hipócrita que por fraqueza e falta de vontade culpa o ano por sua incompetência.
Seja coerente,  olhe para dentro de si,  veja suas atividades,  e julgue a si mesmo.
Será que os teus pedidos merecem ser atendidos enquanto você fica sentado no sofá, como quem espera uma pizza?

Jeessy B.

13 dezembro 2016

Desatei os nós.


Desatei os nós.
Tanto os bons quando os ruins.
Quem quiser ficar,  ficará por si,  porque quer, porque sabe que mesmo não sendo a melhor pessoa do mundo,  mesmo querendo fugir,  os motivos para ficar são mais fortes.

Não sei o que aconteceu comigo.
Sou a mesma. Mas sem o peso.
Por mais que eu soubesse que era desnecessário,  eu carreguei por muitos anos,  sofri,  cai,  chorei,  passei noites como um cachorro sem dono. Mas olhando pra mim, foi necessário sim, eu cresci, mesmo sem ter aumentado um centímetro sequer,  me sinto uma gigante.

Me sinto leve sem ter emagrecido.
É sempre bom se desfazer do que não lhe faz bem,  principalmente das mágoas que carregamos ao longo da vida.
Não, não deixei de ter vergonha na cara,  não dei a cara a tapa novamente,  só estou sendo a diferença que eu gostaria de ver no mundo,  relevando,  esquecendo,  contando até dez ou mil se precisar.

Não pense que é espírito de natal,  é espírito de alguém que também já errou muito, e hoje só busca o bem,  sem olhar a quem.

 Jeessy B.

11 dezembro 2016

Me dá um cigarro?

Me dá um cigarro?
Estou rezando pra que a fumaça me leve para longe daqui.
Longe de mim, dos meus medos dos meus passos descompassados, e até dos meus sonhos absurdos.
Hoje é um dia daqueles em que eu precisava de um colo para re(pousar), pra descansar, sem pensar no ontem, no hoje, no amanhã. Descanar sem receio do que pode me atacar, me ferir, me machucar.

O mundo é lindo, mas o seu lado feio, é cruel, não tem limites. Lá fora não tem essa de me ferrei hoje mas amanhã vou para o fim da fila e serei recompensado.
Quem não se destaca é engolido pelo esquecimento em todos os aspectos.

Me dá uma dose de qualquer coisa?
É qualquer bebida forte e barata que me Alegre momentaneamente, e me faça esquecer de tudo o que eu gostaria de deixar para trás. Amanhã, mesmo com dor de cabeça e sentindo todos os sintomas da ressaca, é outro dia.
Tenho caminhado um passo de cada vez, nem rápido, nem lento, na medida para que os bons ventos me alcancem. Invadam minha casa pelas portas, janelas e frestas e façam dela o teu lar.

Meus móveis estão espalhados por todo lado, o quintal é um caos, eu preciso de ajuda para arrasta-los. Preciso de alguém que me dê uma dose de adrenalina, e me sacuda a vida. Alguém que venha para ficar em meio a bagunça que eu chamo de vida.
Alguém para me salvar.

Jeessy B.

05 dezembro 2016

Oyá.

Sou a brisa leve que toca seu rosto.
Sou a tempestade que lava a tua alma.
Sou o raio que ilumina o céu nos dias chuvosos. 
Sou vida.
Sou viva.
Sou intensidade.
Sou verdade. 
Sou felicidade que bate em teu peito. 
Sou emoção que escorre em teu rosto. 
Sou o amor que te faz arrepiar.
Sou a borboleta que voa à encantar. 
Sou o búfalo que te protege e luta por você.
Sou luz onde só há escuridão. 
Sou rosa com espinhos, que perfuma, mas também fere.
Sou mais do que as palavras podem definir.
Sou a fé que te move todos os dias, que te faz levantar, rezar,  vestir sua roupa de guerra e ir batalhar.
Sou você, estou com você. 
Sou quem  te pega no colo pra te acarinhar,  e acalmar esse seu coração que parece um turbilhão de emoção. 
Sou sua mãe. 
Sou Oyá. 

Do amor maior que eu. - Jeessy B.

03 dezembro 2016

Sobre arrependimentos.

Arrependimentos? Tenho sim.
De ter confiado em quem não merecia, de ter dado segundas chances a quem não deveria ter tido nem a primeira, de ter ido dormir com raiva de quem eu amo por uma briga sem motivo, de ter descontado minha fúria em quem não tinha nada a ver com meus problemas, de não ter chutado o balde quando foi necessário, de não ter metido a mão na cara de algumas pessoas por ser pequena, e saber que não daria certo. De não ter aproveitado um pouco mais minha infância.

De não ter tomado a doze de ca-fé que sobrou na xícara. De não ter me perdido pra me encontrar, de não ter me jogado pra encarar, ou se simplesmente ter ficado um domingo em casa de bobeira no sofá.
E o principal, e mais importante, de não ter dito um "eu te amo", ou um " ei, você é tudo pra mim". E também, de não ter abraçado pela ultima vez alguém que já se foi.

Arrependimentos todos temos, seja ele de algo grande, ou pequeno, cabe a nós sermos humildes o suficiente para admitir isso. E eu, não me orgulho de nenhum desses arrependimentos, mas sou humana, e in(felizmente), é errando que vou aprender.

Jeessy B.

02 dezembro 2016

Meus espinhos.


Antes de exaltar sua voz para condenar minhas atitudes, verifique se seu caminho esta limpo, sem rastros, restos, passos, sem marcas ou amarras obscuras. Eu, sou do tipo de pessoa que adora a todos, até que me provem que não merecem ser adorados, claro que a minha intuição e meu instinto feminino abre exceções, tem asco, raiva, ódio, vergonha, e até a simples vontade de manter distância.

Não sou cem por cento perfeita, aliás defeitos é o que não me faltam por aqui, sou cabeça dura, chata, teimosa, cheia de manias. Por isso, não  condeno e dentro dos meus princípios, não julgo, nem aponto.

Por isso não tenha a ousadia de me condenar estando errado. Sentar no rabo para falar dos outros é fácil, difícil mesmo é enxergar a si. Ajustar os próprios defeitos, se consertar, se fazer melhor para o mundo, e principalmente para você mesmo.

Como eu sempre digo, antes de julgar, apontar e falar mal, se coloque no lugar do outro, se isso não der certo, veja o caminho que ele percorreu, porque a vida pode ser um mar de rosas, mas nem por isso os espinhos deixaram de existir.

Jeessy B.

01 dezembro 2016

Embriagada de verdades.


Já me esbaldei do amargo que a vida me ofereceu.
Mesmo não vivendo um conto de fadas, sei que não posso me queixar.

Os ventos não têm sido ruins,  ruim tem sido tudo o que eu tenho lido e ouvido sobre mim.
Isso me mata por dentro,  nunca fui de ligar para os que os outros pensam ou falam sobre,  mas à algumas semanas percebi que a maioria das pessoas que me abraçam,  são na verdade contra mim.
E sinceramente,  eu não me acho uma pessoa ruim,  eu só não sou como a maioria que se escondem atrás de máscaras para se fazer de algo que não são. 

A minha  v e r d a d e  nos olhos fere as pessoas,  isso é um absurdo em um mundo onde gritam por verdade, eu sou condenada por não ser falsa. Por não me deixar manipular, nem ser como todos.
O pior não é saber que a maioria das pessoas que me rodeiam têm pedras nas mãos, prontas para atirar em minha direção, e sim o que eu sinto, é solidão.
Quando penso que posso chamar alguém de "amiga" , contar meus segredos, falar o que se passa aqui dentro, a vida me mostra que a única pessoa que eu posso denominar assim sou eu,  e quem olha por mim.

É triste,  olho para todos os lados,  e mesmo em meio a multidão,  eu ainda estou só.  
O problema sou eu? 
Ou quem não sabe o que é viver sendo de verdade? 

A intensidade,  as vezes pode sim ter me atrapalhado,  já tomei muitas decisões por impulso,  já julguei,  já xinguei,  e maltratei pessoas que mereciam, e outras, que não.  
Mas nunca,  nunca na minha vida,  eu deixei de assumir meus erros,  seja ele qual for.
Não sou covarde,  e não me escondo dos fatos,  e por dar a cara a tapa,  por ser pura intensidade,  por ser eu, me sinto triste.  Não por mim, mas por ver tanta gente me apedrejar as escondidas, por não ter coragem para enfrentar a si mesmo.
Mas vai passar,  sempre passa.
Vez ou outra a vida me prega essas peças. 
Me ensina a confiar desconfiando.

Livrei-me dos pesos que eu não suportava mais carregar, como eu já sabia que iria acontecer. A verdade doeu, cortou, me esfolou, mas foi melhor que qualquer doce mentira que já tinha sido contada aos meus ouvidos. Hoje, ando mais leve, mais calma, serena, centrada, poderia citar muitas coisas, mas nada, nadinha, poderia expressar com exatidão o que eu sinto e o que eu vivo.

Acreditei tanto em más palavras jogadas ao vento que nem percebi que esse mesmo vento as levava para longe de mim.

Depois de tanto ralar os joelhos e o coração, me deixei ser guiada por ele, e hoje esse tal vento do qual eu tanto falo e que me leva para onde devo ir, se tornou minha pernas, minha intuição, meus olhos e meu fiel guia. E mesmo com os joelhos ralados e o coração dilacerado, agradeço diariamente por ter tido força o suficiente para não me vender por meia dúzia de palavras bonitas. 

Em silêncio eu segui, enfim, aprendi o que é viver, caí, me machuquei, me cortei, me ralei, mesmo assim, eu não me permiti desistir, não por mim, mas muitas vezes pelos outros, porque, ao meu redor, muitos desejavam ver a minha queda e eu não poderia deixar essa má plateia me aplaudir. Porque, para ser feliz, é necessário ignorar certas pessoas, certos comentários, certos acontecimentos e, digo mais, para ser feliz, temos de aprender a ignorar certos passados.

Se uns me desejam mal,  eu só tenho bem aqui,  os bolsos estão fartos disso,  pois quem emana coisas boas para o universo,  recebe isso de volta aos montes. 

E como eu sempre digo,  que venham mais doses de verdades,  porque de mentiras eu já me embriaguei a vida inteira.

Jeessy B.

30 novembro 2016

Acredito.

E eu, ainda insisto em acreditar que as pessoas um dia vão mudar, continuo sendo a tola que acredita nas palavras, que busca nos mínimos detalhes, atitudes, gestos, muidezas, pequeninices. 

Ainda sou aquela que ajuda, que dá a mão, que se doa, que mais dá do que recebe. Insisto em não me mudar por ninguém, em permanecer com o coração cheio de fé, acredito que nesse mundo ainda exista gente, que sabe ser gente, que sabe ser grato, que saiba o significado da palavra reciprocidade. 

Na verdade esse, é o nome do sentimento que eu mais busco, o recíproco, aquele que vem sem pesos, sem amarras, livre tanto para ir, como pra ficar. Mesmo carregando muitas cicatrizes, eu nunca desisti de lutar, afinal de contas, todo guerreiro carrega marcas de suas batalhas, e por mais doloridas que essas feridas tenham sido, hoje elas não doem mais. Hoje elas servem para me mostrar que sou capaz de muito mais, até do que eu mesma posso imaginar. 

Jeessy B.

16 novembro 2016

Atreva-se a me conhecer antes de me julgar.

Não sou do tipo de mulher que as pessoas amam de cara.
Pra me amar é preciso paciência e tempo, muito tempo de convivência,  conversas,  e confiança. 

Sou difícil de lidar, a grande maioria das pessoas me julgam pela minha cara de nojo,  pelo meu sotaque estranho, e um jeito esquisito de falar,  tento me expressar da melhor forma, mas quase sempre sou fracasso. 
Sou humana, uma humana estranha,  ogra,  rude,  intensa demais,  me arrisco a dizer que tenho mais defeitos do que qualidades.

Gostaria de me tornar alguém meiga,  com que as pessoas se identificam quando olham nos olhos ,  não pelo sarcasmo estampado na vida, isso já acontece. Mas que fosse mais fácil de me entregar a amigos,  colegas e afins. 
Tento,  tento mas um dia eu chego lá.  Ou não,  as vezes,  o meu modo seja mais fácil pra mim, desconfio do mundo,  mas sou fraca,  espero tudo de todos,  tudo de melhor,  nunca estou preparada psicologicamente pra ser esmurrada como num ringue de box,  ringue esse que eu chamo de "minha vida."

Me desculpem pela falta de jeito,  eu aprendi assim,  sou imperfeita,  luto para mudar,  mas a sociedade teima em me pré-julgar.
Me leia,  tenha paciência,  não sou a melhor pessoa do mundo,  mas estou longe de ser a pior. Atreva-se a me conhecer antes de me julgar.


 Jeessy B.

14 novembro 2016

Sobre acreditar e desejar.

Acredito que todo ser humano não seja tão ruim, mas tem alguns que não são bons o suficiente para caminhar comigo. 

Gosto de luz e todos nós precisamos de paz. Gosto daqueles que somam e querem expandir, descarto aqueles que só dizem palavras para me diminuir. Jogo no lixo das suas próprias vidas aquilo que "eles", os maus olhos desejam a mim. 
Cansei de ser a boa menina da história e desejar amor a aqueles que me apunhalaram pelas costas, cansei de beijar o rosto daqueles que mereciam na verdade umas boas porradas. 
Tudo bem, não há porque chorar por um leite que eu mesma deixei derramarem, mas sou grandinha o suficiente para não me jogar de olhos fechados nos mesmos buracos do passado. 

Não quero que sofram, mas sei que pagarão pela triste discórdia que me fez chorar. 
Não sou santa, mas sou digna. 
A moeda é rica e tem dois lados, então não queira implorar meu abraço se um dia você já me fez dançar no espaço. Continue a dizer tudo aquilo que você pretende me ofender, mas saiba que antes de ofensa eu sou luz e tudo de ruim que causar na minha vida, volta em dobro como ferida. Também não sou a dona da verdade, mas a vida é minha, e eu, depois dos tombos que levei, decidi não permitir que nada, nem ninguém, irá me fazer ralar os joelhos e a alma , porque fiz de mim, um espelho que gentalha alguma será capaz de destruir. 

Eu posso até iluminar a sua vida com o meu brilho, mas não quero desfrutar a minha vitória ao lado de gente que não quis caminhar comigo. Sou amor e união, mas não venha querer uma reconciliação, não vou entrar na história de quem me quer no chão.

Jeessy B. & Joyce Xavier.

09 novembro 2016

Que os desequilibrados não desequilibrem meu caminhar.

Eu não preciso que ninguém venha me dizer as coisas erradas e certas que fiz em minha vida, eu sei o que faço. 
Julgue-me como quiser, olhe-me dos pés a cabeça, e me encha de defeitos, mas guarde o que acha de mim para si mesmo, realmente não me interessa saber sua o que pensa , pois que vê pensa, quem fala acha, mas só que é realmente sabe de toda a verdade.

Opinião, eu também tenho, mas nem por isso saio gritando ela aos quatro cantos, ou tentando fazer com que os outros engulam isso a força. Respeito é necessário, espaço também, ter a consciência de se colocar no lugar do outro. E se calar quando preciso for, tem gente que fala, fala, e não diz nada, outros até dizem, mas são vagos e vazios.
Uma boa opinião, deve vir acompanhada com um kit de outras coisas, como as que citei, e outras que somente o momento pode dizer.

Quanto à mim, quer me conhecer? Me leia, tente olhar nos meus olhos, eles sim são incapazes de mentir.
Neles a verdade berra mesmo que eu tente conter.

Não importa o que a opinião de gente cheia de eco tenha sobre mim, comigo só levo o que realmente vale à pena. Aprendi Caio Fernando Abreu que-o-que não me acrescenta não me diminui.
Saio de casa, faço minha boa figa, agradeço por tudo, e o que na minha reza não pode faltar é: " Que os desequilibrados não desequilibrem meu caminhar."

Jeessy B.

Que os desequilibrados não desequilibrem meu caminhar.

Eu não preciso que ninguém venha me dizer as coisas erradas e certas que fiz em minha vida, eu sei o que faço. 
Julgue-me como quiser, olhe-me dos pés a cabeça, e me encha de defeitos, mas guarde o que acha de mim para si mesmo, realmente não me interessa saber sua o que pensa , pois que vê pensa, quem fala acha, mas só que é realmente sabe de toda a verdade.

Opinião, eu também tenho, mas nem por isso saio gritando ela aos quatro cantos, ou tentando fazer com que os outros engulam isso a força. Respeito é necessário, espaço também, ter a consciência de se colocar no lugar do outro. E se calar quando preciso for, tem gente que fala, fala, e não diz nada, outros até dizem, mas são vagos e vazios.
Uma boa opinião, deve vir acompanhada com um kit de outras coisas, como as que citei, e outras que somente o momento pode dizer.

Quanto à mim, quer me conhecer? Me leia, tente olhar nos meus olhos, eles sim são incapazes de mentir.
Neles a verdade berra mesmo que eu tente conter.

Não importa o que a opinião de gente cheia de eco tenha sobre mim, comigo só levo o que realmente vale à pena. Aprendi Caio Fernando Abreu que-o-que não me acrescenta não me diminui.
Saio de casa, faço minha boa figa, agradeço por tudo, e o que na minha reza não pode faltar é: " Que os desequilibrados não desequilibrem meu caminhar."

Jeessy B.

08 novembro 2016

Sozinha, mas nunca só.

Estou vivendo apesar de ...
Apesar dos pesares,  estou seguindo, amando,  chorando, sorrindo.
Não sou uma pessoa que pode ser usada como  exemplo,  mas costumo dizer que entre os piores eu consigo me destacar,  não que isso não possa acontecer em meio aos melhores,  mas sou modesta,  e não grito vitória antes que a bola entre no gol.

Tenho aprendido dia-a-dia com meus erros e acertos.
Tenho carregado uma bagagem do que vem para somar, e o que não soma, eu deixo pra lá.
Evito discutir pelo motivo que for,  evito me expor,  tenho me tornado uma pessoa reservada,  não por gostar, mas pela falta de opção,  já me joguei na vida,  mostrei o que não devia,  então,  se é pra ser julgada, que seja pela falta de notícia,  pelo que especulam e não sabem, e nem vão saber.

Que seja silêncio.
Por mais que, pela falta da notícia eu possa parecer uma pessoa triste ou sem novos acontecimentos na vida,  não ligo.
Tenho vivido muito bem,  sendo feliz, indo além do que até eu mesma espera pra mim.
Se eu não tenho alimentado a curiosidade alheia, lamento,  mas continuará sendo assim do lado de cá, não preciso da opinião de ninguém para me mater, logo ninguém precisa saber de mim, aliás , quem sabe, está aqui, ao meu lado,  caminhando comigo perto ou longe.

Porque eu, mesmo sozinha,  nunca estou só.

Jeessy B.

06 novembro 2016

A tua espera Moça.

O cheiro, a voz, a sensação, o dançar, o toque.

Eu esperava cada um desses detalhes. Foram longos anos, eu, me vi inúmeras vezes ali, num canto qualquer, sorrindo, chorando, cantando como quem se sentisse completa.

Mas me faltava um pedaço. Nunca senti inveja, nunca quis estar no lugar de outra pessoa, mas perdi a conta das vezes que o abandono me veio em mente. Sentia, mas não via, não ouvia, não tocava. Era muito para alguém como eu moça, mas aqui, eu queria mais, precisava de mais. Olhava todos ao meu redor, e me perguntava: Quando será a minha vez?
Os dias foram passando, eu fui amadurecendo, caindo, levantando, aprendendo, me moldando para ser quem sou.

Muito tempo passou enquanto eu te esperava moça, eu mudei demais, e aos poucos, consegui mudar as pessoas ao meu redor, pouco, mas o suficiente. E aos poucos a vida foi se encaixando. 

Até que em uma noite daquelas que a gente quer dançar, cantar, louvar a vida e agradecer pelo ar que respiramos. Você chegou para tornar a minha noite mais perfeita impossível moça, como uma corrente elétrica, te senti, seu cheiro, a voz, o toque, a dança, a risada. 
Demorou, mas agradeço por isso também, aconteceu, e foi lindo.

Fechei os olhos, e me deixei entregar pela sensação que sentia, e quando abri meus olhos novamente, queria gritar, chorar (De alegria), extravasar, contar pra todo mundo que você chegou, sabe quando a felicidade vem, e te completa? Te faz transbordar gratidão e um punhado de coisas boas? Sabe quando você olha pro céu e se sente abençoada? 
Foi um misto disso e muito mais.

E uma das melhores coisas, foi enxergar nos olhos dos outros, a felicidade que sentiam por mim.

Eu espero moça que seja cada vez mais lindo, eu, sabia seu nome mesmo sem saber suas historias, o amor, e a admiração, sempre brilhou no meu sorriso por tê-la comigo.

A casa é bagunçada, o corpo não é o melhor, a bebida não é a mais cara, o cigarro não tem o sabor de antes, mas sempre terá lugar para você. Volte sempre moça, Minh'alma e meu caminhar, precisam de você.

Jeessy B.

23 outubro 2016

Te chamava de meu lar.

As vezes penso que pode ser castigo. 
Depois de tantos anos. 
Tudo o que passamos. 
Te olho de longe,  e me arrepio como da primeira vez. 

Sabe,  aquele arrepio que estremece o corpo e a alma responde? Pois é. 
Quando chego perto,  nossos olhos namoram como se não fosse a primeira vez,  como se tudo já estivesse sido escrito em outras vidas.

As vezes,  duvido que elas existam. 
Mas quando paro pra pensar em nós. 
Na nossa história, que mesmo com páginas arrancadas,  muitas palavras rabiscadas, é im(perfeita) do nosso jeito.
Defeitos,  temos aos montes,  você sempre bagunça a cozinha para fazer o jantar,  e eu,  amo estar ao seu lado pra arrumar teu caos. 

Parece loucura,  eu reconheço, ninguém entende,  mas quem disse que amor foi feito pra entender,  quero viver,  sentir milhares e milhares de vezes todas as boas sensações que tua alma causa a minha.

Se existiu vida passada. 
Você,  era quem eu chamava de meu lar.

Jeessy B.


22 outubro 2016

Promete vir comigo?

Amor,
Promete vir comigo? 

Eu já estou cansada de me sentir sozinha. 
De olhar pro lado na cama, e não ver ninguém,  não sentir braços me envolvendo e me aquecendo em meio a madrugada. 
Amor,  não te prometo a eternidade. 
Mas serei na tua vida,  a presença,  a compreensão,  o respeito, a gratidão, a amizade,  a cumplicidade,  o amor e a paixão,  que nenhuma outra mulher que passou pela sua vida foi.

Não te prometo só dias ensolarados, mas prometo estar do seu lado até nos dias nublados. 
Um dia em casa, de pés dados debaixo das cobertas, colchão na sala, filmes, silêncio, risadas, amor.
Pode parecer pouco o que eu tenho a oferecer.  Não há nada tão palpável,  nem rico financeiramente,  mas meu bem, faz toda a diferença,  eu garanto. 

Já estive do outro lado,  tendo quem andar de mãos dadas nos dias bons,  mas quando a escuridão chegava,  eu estava só,  olhava pro lado,  e não havia ninguém.
Por esse,  e tantos outros motivos,  quero,  e serei o que lhe falta.  
Estou disposta a te mostrar que o amor,  é diferente de tudo aquilo o que sentiu um dia.

Agora vem. 
Me deixa ser luz na tua vida de escuridão?

Jeessy B.

Prefiro as entrelinhas.

Tenho pena de quem tem a alma pequena. 
Tão miúda, que pensa ser sábio o suficiente para tentar distribuir lições de moral,  que na verdade,  não lhe cabem na própria vida.

Eu, não sou perfeita, e não me orgulho de muitas coisas que fiz. Mas sou mulher,  e bato no peito pra dizer que existem muitas exceções. 
Existem coisas não tão bonitas que fiz,  caminhos não tão floridos que escolhi,  mas que me fizeram aprender,  o suficiente para chegar aqui,  olhar para o lado,  e ter a certeza de que ao meu lado,  está,  quem eu escolhi. 
Quem esteve comigo no bom e no ruim.

Dos dias de churrasco e cerveja na laje,  e também nos dias de pão com ovo (Que por sinal eu adoro).
Isso é lindo. 
Não pelo hoje. 
Mas pelo ontem.
Existem tantas pessoas que tentam fazer os outros engolir suas inverdades por aí. 
Que quando se encontra alguém, que prefere o silêncio do sentir,  o silêncio da felicidade que grita mais que qualquer voz, o silêncio do amor que faz o corpo estremecer e as palavras faltar.

Que percebemos que-a-verdade,  não existe para aquele que sobe no palco da vida, e grita coisas absurdas,  que todos sabem que nunca existiu, nem existirá,  pela simples vontade de "parecer" algo que nunca será.
Embora o grito seja a melhor forma de aparecer,  eu prefiro o silêncio,  as letras miúdas das entrelinhas que os tolos têm preguiça de ler.

Jeessy B.


21 outubro 2016

Barco a deriva.

Eu sou imperfeita,  todos somos, mas as vezes,  penso que sou uma pitada grande demais. 
Lá fora,  convivo com gente como eu, e as vezes,  que erram até mais, mas que são de certa forma reconhecidas. 
Já eu, sou apontada. 
E até comparada. 
Não sou como os outros. 
Não nasci para me espelhar em alguém. 
Sou o que nasci para ser.
Claro que com muitas adaptações feitas pelo caminho,  muitos remendos, muita cola, e esparadrapo.
Mas por mais que eu mude.
Me molde ao modo que os outros gostariam de me ver.
E deixe de ser, o que eu mesma gostaria. 
Olho pro lado,  e não vejo o amor das pessoas,  o reconhecimento,  a admiração de quem mais me importa,  não existe. 
Sou um nada.
Vagando. 
Como um barco a deriva sem capitão. 
Sem rumo,
Sem mar.
Sem chão. 
Buscando na imensidão,  alguem que ouse Re(conhecer) seu coração. 

Jeessy B.

Mi-Mi-Mi.


Detesto fofoca. 
Mi-mi-mi,  nunca foi meu forte.
Falo do que sei, e só sei da minha vida. 
E pra falar a verdade,  as vezes,  nem dela dou conta. Falta tempo,  um dia é pouco pra todas as obrigações,  tanto trabalho,  família,  amor,  eu. 
Tem dias que me pego indo trabalhar com as unhas por fazer,  tenho tempo pra todos,  que falta tempo pra mim.
Pra me dar uma boa olhada no espelho,  e enxergar o que mudei.
Outro dia, vendo fotos antigas,  não me reconheci,  não pela fisionomia em si,  mas pelo tempo,  por tudo que vivi depois daquelas fotos. 

Me vi ali, me analisando,  o que poderia fazer e não fiz,  o que fiz e poderia ter deixado de fazer,  é mais,  o que poderia ter feito melhor ou pior.
Mas enfim.

Fiquei sabendo,  que mais alguém me apontou,  e assumiu não gostar de mim. É para rir. 
As pessoas me amam quando lhe convém. 
Quando querem algo,  eu sou um amor aos teus olhos. 
Se "chegam",  e fingem ser meus amigos de infância. 
Pena que não nasci ontem,  enxergo os maus olhos, e as más intenções,  de longe. 
Por esse fato,  também já fui julgada. 

Já me disseram que eu não gosto de ninguém. 
E pensando bem, isso é uma meia verdade. 
Eu não gosto de (quase) ninguém. 
Principalmente de gente que me olha nos olhos,  sorri, enquanto por dentro busca um jeito de me fazer cair.
Sinto,  sinto mas falta muito para isso acontecer. 
Sou de verdade,  me encare e enxergue a verdade como ela é. 
Só não venha me dizer, que não gosta de mim, porque eu " Sou cheia de querer ser". 
Porque o que eu gostaria de ser, já sou,  e francamente,  convenhamos que no fundo,  eu sou,  aquilo que você sonha ser meu amor.

Jeessy B.


19 outubro 2016

Meu amor Zé .

A angustia me toma o peito.
A razão não esta mais em mim.
O bom senso saiu para dar uma volta.
A paciência, foi junto e bateu a porta.
Não sou mais eu aqui Zé, o ódio, a raiva, a vontade de sumir, gritar, ofender, se possível bater, me tomou inteira. Dos cabelos aos dedos dos pés, eu sou ira.

A m o r   também é ódio Zé, ressentimento, tristeza, mágoa, vontade de jogar tudo pro alto, pra ver, se alguém sente falta, se o coração vai chorar, e a solidão, vai fazer lembrar.
A m o r   dói, corta, fere, mesmo sem que seja visto aos olhos nus.

Eu tentei escrever antes, mas o turbilhão de sensações, e sentimentos que levo comigo, me impediram, tiraram minha voz, me travaram os dedos, é difícil se mostrar culpado diante de tantos muros altos.
É Zé, muros construídos parar barrar as batidas, e a vontade de um coração, vez-ou-outra eu escuto ele gritar, mas o orgulho, te deixa mudo, vazio, mesmo transbordando coisas boas.

Eu me esforço pra por abaixo essas construções que nos impedem de sentir, de viver. Os anos passam, mas eu não desisto.

Eu amo Zé, mas eu amo tanto, daqueles amores de novela, filme, romance de livro, que daria a vida por tudo isso, que tiraria o próprio sangue pra salvar, e doaria a pele pra proteger.
Os dias vazios passam, esse eco faz barulho demais nego, me faz molhar o travesseiro quando tento dormir, mas eu rezo, rezo por dias melhores, de coração calmo, pleno, tranquilo, amado, pelo meu amor.
Quando ele me liga, é engraçado Zé, eu tento me conter, não demonstrar emoção, mas aqui dentro, tudo bate forte, parece uma bateria de escola de samba.
Ele me ama, do seu jeito torto, desajeitado, sem sintonia, como passos descompassados, como uma criança quando aprende a andar.
Em seus planos, meu nome ganhou o papel principal.

Eu des-fiz, e re-fiz meus planos milhares de vezes, me imaginei sozinha, mas me senti como alguém que chega após um dia de trabalho, cheia de novidades, coisas boas, mas não tem pra quem contar.
Nessa imaginação a sala estava vazia,  sobrava espaço no guarda-roupas, não tinha toalha molhada na cama, roupas no sofá, não tinha risadas misturadas, conversas, sabores, nem o cheiro do feijão fresco pairando no ar.
Não tinha eu, pois se você não estivesse na minha vida, ela teria perdido o sentido.
Não tinha você.
Não tinha nós.
O ódio passou, a raiva sumiu, o sangue esfriou. Porque  a m o r  , é um misto de tudo, isso inclui imperfeições e erros.
A m o r  também é deifeito.
Se os sentimentos ruins predominam, os bons saem para passear, no nosso caso Zé, é o contrario. Em meio ao inferno dos ruins, o  a m o r  predomina, se sobressai, completa, transborda. Faz ficar, não por obrigação, mas por vontade, pois os motivos e para ir existem, mas os que pedem pra ficar, são maiores ainda.

Meu amor Zé. - Por Jeessy B.



05 outubro 2016

Volta amanhã Zé?



Zé,  obrigada por caminhar mais um dia de pensamentos dados e vontades recíprocas ao meu lado.

Me pego pensando as vezes,  que mesmo sendo imperfeita,  e sem muito nos bolsos e nas mãos,  eu tenho tanto.
Amor, carinho, felicidade, reciprocidade, legalidade, prosperidade, proteção, e sucesso num mundo que é só meu. Ainda falta um punhado de coisas, mas por ser grata a vida, não posso me queixar. 
Porque bom meu nego,  é olhar pro lado e saber que não se está só. 

Você,  é um dos únicos que me lê,  sabe o significado de cada sentimento, cada lágrima e cada sorriso que eu faço brotar,  as vezes,  mesmo querendo chorar. 

Obrigada por me acompanhar mais um dia, volta amanhã Zé?

Jeessy B.


04 outubro 2016

Feliz dia das amigas (Animais).

Hoje é um dia especial para todas as vacas, nada-sagradas que um dia tentaram pastar no meu quintal.
Para todas as cobras que tentaram me picar, não-sabendo-que-o-meu-veneno-sempre-foi-letal.
Para todas as antas que vivem especulando minhas intimidades, sem entender,  que o melhor eu vivo sem dizer.
Para todas as piranhas que nadam e nadam tentando me alcançar,  mas coitadas, eu já estou de longe, tomando um bom drink, observando.
Também para as cadelas , que ladram mas não sabem morder.
Para as burras, que de tão pouco intelecto que possuem,  se acham auto-suficientes para tentar derrubar ou humilhar alguém, coitadas.
E por último e não menos importante, para as galinhas,  o que dizer de um ser com o cérebro do tamanho do milho que ciscam.

Feliz dia dos animais para todas elas, e para as agregadas figurantes também. 

Jeessy B.


27 setembro 2016

Bata a porta moça.


Queria gritar,  mas a voz não saia, e quando eu teimava, e tentava ao menos falar, os olhos molhavam sem querer.
Seca logo estas lágrimas,  lava esse rosto, retoque a maquiagem,  e vista sua máscara de que tudo está bem e   s i g a.
Você sabe que lágrimas não podem definir uma pessoa como fraca ou forte, mas ninguém precisa saber da tua dor. 

A moça bateu a porta e saiu, a mulher apenas fugiu,  sem dar satisfação,  sequer um bilhete de despedida deixou, a menina,  foi a única coisa que lhe restou. 

Sabe qual é o problema dela?
Ela precisa de tudo em excesso,  os bons sentimentos é claro,  mas principalmente de um ombro ou um colo pra chorar.  Quem te conhece sabe da tua história,  sabe que contar suas dores para se fazer de coitada não é o seu forte,  mas as vezes é preciso desabar,  ao invés de se camuflar atrás de um sorriso amarelado e gasto, que por sinal, é conhecido por muitos,  e você pode contar nos dedos de uma mão,  quantos os desvendaram.

Menina, a vida te dá motivos para   s o r r i r,  mas também te dá uma bagagem que as vezes é impossível de carregar sozinha,   quando se sentir segura,  fale, desabafe esse peito de dor, desfaça os   nós   entalados   da   garganta. 

Bata você também a porta, e deixe suas dores presas em um lugar, que seja impossível que elas fujam e lhe visitem novamente. 
Vai passar.
T u d o  passa. 
As lágrimas vão secar,  o dia vai nascer,  o sol vai raiar,  e o teu   s o r r i s o   o dia vai irradiar.

Jeessy B.




17 setembro 2016

O in(finito) acabou.


Nem adianta insistir.
Passado aqui, na minha vida,  só se faz presente se eu quiser. E isso também vale para os que estão ao meu redor, como dizem que gosta de passado é museu.

Não tem essa de sair e largar a porta entreaberta pra voltar quando bem entender, minha vida não é bagunça,  e eu tenho um real presente para viver, olhar para trás não está nos meus planos nos últimos anos.
Muito menos deixar misérias de frestas abertas esperando que alguém volte e me salve.

Isso eu já fiz, sozinha,  por mim mesma.
Ninguém vale tanto a pena quanto eu.
Ninguém vai um dia me amar mais que eu mesma.
Por isso, bata a porta quando sair.
Amarre um ramo de folhas nos calcanhares que é pra não deixar rastro, esqueça o caminho de volta, e suma, se sentir vontade de regressar , lembre-se de tudo o que um dia não te permitiu ficar.

Lembre-se dos meus defeitos mais medonhos.
Qualidades só valem a pena serem lembradas quando estávamos lado-a-lado.
Tudo se tornou descartável demais para ser lembrado.
Tenho um mundo cheio de cores e amores para desbravar,  e não tenha dúvida alguma, que vou mergulhar de cabeça em tudo de bom que os próximos dias, meses e anos puderem me oferecer.

Não me procure, não vale a pena, já conheço tudo isso aí, de cabo-a-rabo, quero o sabor e o cheiro do novo.
Vivemos bons dias de comodismo lado-a-lado, mas passou, chegou a hora de viver realmente.
Saia, não olhe para trás, pois eu não estarei mais lá.

Acabou,  o mundo girou,  o que era novo envelheceu tanto,  que morreu.
Não me ligue, estarei ocupada demais para atender.
Não escreva, a grande verdade é que eu quero que se dane você.

O in(finito) acabou.

Jeessy B.



14 setembro 2016

Vá além da inveja.

Inveja é algo que consome muita gente por dentro-e-por-fora,  por mais que todos neguem, não deixam de sentir.
É feio, mesmo muitos sentindo a tal inveja branca, que no  fundo, bem la no fundo, ela nunca deixou de ser negra e amarga como fel.

Tenho pena de pessoas pequenas,  que vivem para ver o mal da vida dos outros, e sobrevive de agourar a vida alheia.

Inveja nada mais é pra mim, que uma incapacidade de um ser de se sobressair,  aí sobra tempo para olhar por cima dos muros dos vizinhos.
Não desejo nada mais do que a distância de todos esses seres desumanos.

V i v a  por si.
Mostre a que veio.
Faça e almeije o bem, não só por você, ou para você, faça isso além.
Seja mais do que a da platéia possa esperar.
Só não me deseje, nem faça nada para o meu mal.
Não ando só.
Cansei de dormir me sentindo sozinha, mesmo sabendo que nunca estive nem nunca vou estar.

Não reze pelo meu mal, não seja pequeno e mesquinho a este ponto.
Meu bem, eu não preciso pedir nada a ninguém,  não preciso rezar pedido justiça,  não preciso acender uma vela para o mal de ninguém.

Eu tenho quem me cuide.
Me guarda.
Me protege.
E me guia para o melhor caminho acima de tudo.

Sabe porque?
Porque se eu não pudesse com mandinga meu bem, não carregaria meu bom e velho patuá.
Sou luz, por mais que a escuridão alheia tente me apagar.
Aqui, só cabe o bem.
A vida é um espelho, um reflexo, uma câmera fotográfica pronta para disparar na sua direção.
Seja mais.

Jeessy B.




Oyá...



Oyá minha rainha.
Minha vida.
Meu Orisá
Que me protege nos caminhos e nunca me deixa sozinha caminhar.
Ela é brisa leve que toca o meu rosto nos dias bons.
O vendável que me balança os cabelos nos dias ruins, para o mal afastar de mim.
Tenho o maior orgulho do mundo de ter nascido filha de Oyá.
Ainda no ventre de minha mãe,  eu fui escolhida.
Sou filha dos ventos que refrescam os dias de calor.
Sou filha da borboleta que me alegra a voar no nono andar.
Sou filha do raio,  que clareia os céus sem brilho nos dias chuvosos.
E do fogo dividido com Sàngó, o rei da minha vida.
A felicidade em ver minha mãe dançar,  não cabe no peito, nos olhos, menos ainda no sorriso.
Uma criança no ápice de sua alegria chora,  e eu,  choro quando vejo Oyá.
Acordar em uma quarta sem expectativas,  abrir as janelas,  e ver o céu rosado de Oyá é sentir que a vida tem sentido,  que tudo vale a pena, que eu não carrego essa fé toda por carregar.
Sou,  e sempre serei filha de Oyá,  isso nada, nem ninguém pode mudar.

Jeessy B.

03 setembro 2016

Caçador de lágrimas.

Você era um maldito caçador de lágrimas, minhas lágrimas por assim dizer.
Te satisfazia, te saciava meu choro, te deixava completo meu sofrimento, enquanto ele me rasgava por dentro.
Mentia, traía, batia. Achava que suas palavras não me atingiam, tolo, ardiam como ferro em brasa.
Tudo pelo nobre propósito de inflar o teu ego, e me tratar como um grande monte de nada.
Eu trazia de tudo, tudo pra você, pra te agradar, te fazer feliz, único, mas era em vão.

Me cortei em pedaços por alguém que carregava em suas mãos um arco e flecha cujo o alvo era meu coração.

Coitado, ele teve que aprender a se refazer. Sozinho. Apesar de, às vezes, me deparar com ele estando cansado de tantas insistências em vão, de tantas decepções, ele segue forte; jamais morreria por uma falta que não lhe cabe mais sentir. Nem por um certo alguém que nunca soube tratá-lo com a mesma imensidão de desejos, de entrega. Esse alguém era apenas uma fumaça, enquanto eu ardia em chamas. Contudo, agora não mais...

Então, vá caçar novas ilusões em outros lugares, já que não sou mais sua pobre presa, indefesa. Pois me libertei do seu desamor. E as minhas lágrimas por você cessaram. Mas meu coração, guerreiro, permanece bem vivo. A única coisa que morreu aqui dentro foi o teu poder sobre mim... Ele, sim, já se foi, e para todo o sempre.

Andressa Badin Castro & Jeessy Batista




Fé em nós.

Muitos anos se passaram,  muitas coisas mudaram, nós ja não somos os mesmos,  mas existe um coisa que resistiu a todas as tempestades e também aos chuviscos,  essa "coisa" é o nosso amor,  aliás,  ele mudou,  mudou porque nos uniu cada dia mais,  e hoje, eu posso lhe afirmar meu bem,  esse amor só aumentou.

Eu,  ainda sinto meu corpo se arrepiar quando você me toca,  e me sinto uma menina-moça ansiosa toda vez que você vem me encontrar,  o frio na barriga,  e as sensações que não consigo descrever daquele primeiro dia,  se fazem presentes em mim.

Até o que aconteceu para nos separar,  só fez nos unir.
Agradeço a você cada momento que passamos juntos,  cada vez que você segurou minha mão me impedindo de cair,  cada vez que me abraçou quando eu só queria sumir,  o mundo foi um tanto quanto cruel conosco,  mas amor, o melhor ainda está por vir.

Tenho fé nos seus,  nos meus,  tenho Fé em Nós.

Jeessy B.

01 setembro 2016

Meu caminhar.

Que meus caminhos sempre foram tortos não é novidade para ninguém, meus passos,  por mais que sejam firmes, sempre foram desconfiados,  quem muito apanha um dia toma vergonha,  essa é a grande verdade,  e a vida, mesmo tendo teus dias de glória,  não tem nem um pingo de dó de bater.

Já balancei mas não cai,  já tropecei,  me ralei,  me machuquei,  e levantei,  sacodi a poeira, e dei a volta por cima. Muitas,  aliás inúmeras vezes fraquejei.

Desisti,  quis voltar,  fazer diferente,  escolher outro caminho, e escolhi,  Re(comecei).

Mesmo não tendo uma vida perfeita,  sei que hoje meus passos são certos,  firmes,  na direção e no caminho que é meu.
Sei,  eu sei que muita coisa vai mudar, ainda há muita água para passar debaixo dessa ponte que eu chamo de minha vida.
Quem me rege,  me governa, me guia,  também me mostra com os sinais diários,  que desistir não é uma opção viável.
Não cruzo os braços e espero cair nada do céu além da chuva, que ultimamente nem isso tem caído.
Todos os dias,  eu mato os leões das adversidades indesejadas lá fora, Luto contra mim mesma, brigo com meus demônios internos,  com meus medos, e meu inferno astral,  ou menstrual.
E é por esses, e tantos outros motivos,  que eu,  hoje, sou mais forte, como já disse, fiz de mim uma muralha contra os maus sentimentos,  invisível aos olhos obesos,  e livre de todos os pesos.

Jeessy B.

31 agosto 2016

Aceita.

Aceita que aquele homem que você enchia de defeitos e maldizia mudou, mudou de verdade, mudou para si mesmo , mudou para mim, e para o mundo também.
Respira fundo e entenda que ele escolheu ser feliz ao lado de alguém que realmente merecia a sua mudança, que não fraquejou na primeira briga, e que não se escondeu embaixo da cama nos dias de caos.
Alguém que não pegou a mala, e bateu a porta em sua cara quando o dinheiro acabou.

Engole, porque hoje, ele é o homem que você sonhava, que queria ter ao teu lado, mas não pode.
Porque hoje, mesmo ainda sendo imperfeito, mesmo tendo as janelas e portas abertas da nossa relação, ele escolhe diariamente ficar.

Essa é a grande prova de que a mudança existe para quem luta, demonstra, compreende, e é de verdade.
Não adianta apontar todos na rua e esquecer de olhar para o teu próprio ser.
Não adianta deixar de elogiar para mostrar os defeitos.
Aprenda que a mudança tem que partir de você para conseguir alcançar e mudar alguém que está do teu lado.

Entenda que mulher de verdade, não sai por aí julgando e dizendo que homem não presta, isso é coisa de gente fraca e incompetente, que não tem capacidade o suficiente de mudar e moldar alguém para o teu próprio eu.
Todo homem nasceu com um "q" de cafajeste, com o DNA de um ser que faz, e só depois pensa. Infelizmente isso tá no sangue, tá na cara de pau que todos eles tem. Não estou aqui para defender ninguém. Só para mostrar que pode ser diferente sim. Basta querer, um querer de ambas as partes, uma andorinha só não faz verão, mesmo com muita luta. Mesmo fazendo das tripas coração, mesmo se deixando de lado.

A questão é se amar, e se colocar ao lado, nem a frente, Nem atrás, porque comigo é assim, se quiser ficar, que seja ao meu lado, segurando a minha mão, me apoiando, me amando, me respeitando.
Gente pequena, que não se impõe, que não muda nem a si mesmo, nunca, nunquinha que vai conseguir mudar quem está, ou gostaria que estivesse ao seu lado.

Jeessy B.

Meu outono mais florido.


Você é o meu é o meu outono mais "florido" moço.
Minha musica sem rima.
Minha poesia sem combinação.
Meu sorriso mais bonito, o brilho nos olhos mais lindo que eu já vi.

Em algum lugar, estava escrito moço, passado, presente, futuro.
Eu , você, nós.
O amor, respeito , cumplicidade, gratidão, União, amizade, cuidado, paixão, desejo, tesão, e um punhado de coisas que carregamos junto a sem reclamar.

Já tivemos muito a pedir, a nos queixar, mas os ventos mudaram, e hoje a vida é inteirinha dedicada ao agradecimento. E um dos meus principais motivos, é você.
Te conhecer, estar com você, permanecer ao teu lado, ser tua.

Lá fora enquanto o inferno grita, as folhas caem, a música, e os poemas embalam noites vazias, nós, do nosso jeito completamente imperfeito, entre nossas quatro paredes, só queremos continuar sendo nós.

Meu bem, permanecer ao teu lado, é o que me faz ganhar o dia, todos-os-dias.

Jeessy B.♡

28 agosto 2016

O que sinto.


Escrevo o que sinto, escrevo pois sinto.
Tudo depende do meu humor,  do meu dia, do que eu vivo,  vivi, um dia quero viver, ou apenas daquilo que quero distância.
Escrevo pra mim, pra me aliviar,  pra extravasar, pra sorrir,  ou chorar através das palavras.
Engana-se completamente aquele que acha, ou um dia achou que era o motivo das minhas palavras,  aliás , na verdade tem sim uns e outros que são donos de muitas das minhas linhas e também do meu bem querer.
Mas isso não é no geral.
Se eu não sou pra qualquer um, minhas palavras são menos ainda,  até porque não é todo mundo que merece meu tempo, minha presença,  ou sequer uma letra minha digitada com o intuito de lhe tocar ou de lhe atingir.

Sou intensa demais,  as coisas são a flor da pele demais,  eu sinto demais,  acho que até em excesso,  e como tudo que é demais estraga, enjoa,  isso não é diferente com o meu sentir, me transborda demais, mas paciência.

Quem não gostar, felizmente vai ter que me engolir assim, do jeitinho que nasci.
Os que se incomodam com a minha presença mesmo que indiretamente,  só tenho a lamentar,  aliás pra dizer bem a verdade, não lamento não, só sei que vão ter que me aguentar muito ainda.
Eu gosto disso, de causar o desconforto alheio, não posso negar,  quando vejo os olhares tortos,  os cochichos,  e as sobrancelhas erguidas (Não mais que as minhas é claro.), eu gosto,  gosto porque esses sintomas são de inveja,  e mesmo sendo um sentimento mesquinho, ninguém sente isso por alguém que no fundo não admira de certo modo.

E embora eu cause isso ao redor, eu só almejo a paz de dias tranquilos, numa varanda seja na praia ou no campo, ouvindo música,  sentindo a brisa dos bons ventos balançarem meus cabelos,  enquanto eu aprecio um bom vinho, com a presença do meu querido, enquanto finalizo ou inicio mais um livro.

Jeessy B.

26 agosto 2016

Tô leve Zé.

Agradeço Zé pelas segundas chances que a vida nos dá, como quem diz: "Vá, mude o rumo, rasgue uma pagina, e comece a escrever nessa pagina em branco que ficou, uma historia mais bonita, você consegue."

Hoje em algum cantinho por aí, o tempo, o vento, e os Deuses me aprontaram uma que nem te conto nego.

O jeito mais fácil de se resumir, é que minha    v e r d a d e  ganhou voz, gritou, e foi ouvida de peito aberto. Essa minha acidez, esse sarcasmo, e essa mania de fazer piada de tudo atrapalhou, esse vento fez voltas, mas hoje me tocou.

Passado é um negócio danado-de-difícil-de se lidar, delicado e cortante como cristal, bonito de se ver, mas quando não manuseado de forma correta, machuca, fere, esfola de um jeito, que as vezes até reflete em gente inocente.

Ter em minhas mãos a escolha de fazer a diferença, me fez ganhar o dia.
Por isso, e uma infinidade de outros motivos, eu agarrei ela "cum" força, que é pro futuro não jogar na minha cara lá na frente, que eu tinha tido essa chance, e a desperdiçado.

Ninguém pode me condenar pelas escolhas que fiz. Ninguém além de mim, que carreguei nas costas sozinha o peso disso tudo. O amor faz a gente de idiota as vezes Zé, deixa a gente sem rumo, doido de pedra, o suficiente pra fazer a gente atacar, como um animal feroz. Conforme o tempo vai passando, a vida nos mostra que o atalho, poderia ter sido evitado, que o caminho não era tão longo assim, e que o fim da estrada, seria o mesmo, só que com menos ferimentos de guerra.

Minhas cicatrizes estão aqui, eu as causei, o que me doeu, foi machucar quem não merecia. Pra amenizar, eu ia dormir pedindo força pra continuar, e que quem eu feri, encontrasse um abraço bom de pousar, para que suas feridas, causadas por mim, fossem curadas, e que um dia, o céu, voltasse a ser enxergado com cor, e amor nos lábios.

Hoje Zé,  eu recebi uma segunda chance.
Não me importa o que digam, pensem-ou-que-falem.  O que me faz mais feliz ainda, é não sentir esse peso mais aqui.

Tô leve Zé, não perdi peso, mas sinto Minh'alma flutuar, em paz.

Jeessy B .

25 agosto 2016



24 agosto 2016

Ciclo.

Quando a gente para pra realmente pensar na vida, fica mais fácil notar que nada é pra sempre!
Tudo faz parte de um ciclo, começa e termina; algumas vezes o fim se confunde com um novo início, fases existem pra que a mudança aconteça. N a d a  vai de fato ser a mesma coisa infinitamente. Entender isso pode nos ajudar, afinal serve para coisas boas, e graças a Deus para as ruins também.

Dias e acontecimentos ruins, tanto diminuem como acrescentam, depende do modo de enfrentamento, alguns olhos encaram como aprendizado, outros como só mais um empecilho na carga.

Eu os vejo como algo a ser enfrentado, batalhado e 
 v e n c i d o  a cada novo dia.

Os vejo com uma chance de fazer diferente e a diferença, fazer proveito do que nos foi dado e não recusar nenhuma oportunidade de se manter em movimento. Vejo a cada ciclo, uma novidade, uma porta desconhecida cheia de surpresas que positivas nos alegram e quando negativas nos ensinam.

Abro essa porta como quem busca água no deserto, chuva no sertão, com sede de vida, com fome de dias ainda não descobertos, segundos, minutos, horas ainda não desbravadas.
Isso me motiva a não desistir, em minhas orações todas as noites eu peço que o amanhã seja melhor que o hoje, não menosprezando o que vivi, mas assim como um ciclo se renova, isso é o que eu desejo para a minha vida, que se 
 r e-n o v a   a cada novo amanhecer.

Ciclos são como os ventos, vêm e vão.
Caminhar para não estacionar é preciso, seja passos rápidos ou lentos, o importante é não se permitir  
p a r a r.

Jeessy B. & Joany Talon