10 agosto 2016

Aprendiz.




Quando os anos  passam e você amadurece, olha para trás e vê quão imatura e idiota, eram certas atitudes. Ainda bem que existe o tal do tempo, ele nos mostra quem nunca deveria ter entrado em nossas vidas, mas também nos mostra o quanto você pode aprender com certos tipos de pessoas.

Algumas pessoas que passaram pela minha vida, são exatamente o exemplo do que eu não quero ser.
Agradeço pelos espinhos que me feriram, agradeço cada apunhalada e cada palavra torta. Agradeço por cada lágrima e decepção que tive.
Essas pessoas nunca saberão ou terão o prazer de ver o que-e-em-que cada ferida me transformou. Me fez ver que posso ser alguém melhor a cada dia, enquanto outras, simplesmente nunca terão capacidade pra isso.

Aprender com os erros, com as quedas e tropeços, não é para qualquer um mesmo.
Muitos se perdem pelo caminho, e quando caem desistem por pura preguiça, e por falta de força e vontade de lutar.

Não sei se já nasci guerreira, mas desde pequenina sabia que sangue de barata, mosca-morta, nunca foi muito a minha cara. Meu lema desde aquela época, era e é: "Eu quero, eu posso, eu vou conseguir." Desistir pra mim sempre foi mais difícil, do que continuar o percurso com os joelhos ralados, coração em pedaços, e a alma gritando por socorro.

Olhar para o lado e ver quem me feriu, maltratou, me bateu com palavras, e me negou boas atitudes, ali, estacionado, só não tem o sabor dos deuses, porque não sou rancor, menos ainda desejo o mal, os ventos sempre mudam de direção, e se é que ele vai me trazer algo de volta, que seja sabedoria, aprendizado, e tudo de bom que eu jogo para o alto, rezando para que caia de novo em mim.

Jeessy B. & Dennyse Castro.