24 agosto 2016

Foi o mel que mamãe passou.

Eu não sei o que eu tenho, de verdade não sei o que as pessoas pensam de mim por aí , e de verdade, estou pouco me importando com o que dizem pelas minhas costas.

Fãs encubados.
Amor reprimido.
Raiva, ódio, ou vontade de ser eu.
Não sei como denominar.

Pensam que foi fácil, tolos, mal sabem o quão difícil foi aguentar tudo o que já aguentei, olhar hoje é sorrir sobre o que um dia chorei, mais difícil ainda é suportar essa perseguição de gente tola, não sei o que pensar de gente que vive gritando suas "verdades", mas não deixa de tentar rodear o que eu tenho guardado aqui. 
É simplesmente ridículo, infantil  e nojento  uma pessoa dizer a todos que me odeia, mas viver por tentando estreitar laços com os meus, para na verdade saber como estou, e meio que me dizer: "Me olha eu estou aqui."

A minha vontade é de sumir para nunca mais ter que convi(ver) gente assim. 

Ahhhh, eu já fiz isso mas meus fãs não me deixam.
Já pensei que fosse ódio,  vontade de me ver no chão,  ou vontade de me ter por perto seja para o que for, mas hoje, penso que é amor, mas comigo ninguém arruma nada, o dono do meu amor,  já está ao meu lado. 
E é com ele que vou ficar. 

Sente.
Chore.
Lamente.
Nada que a inveja alheia grite vai me afetar.
Porque se lamento de  p u t a  nem Deus escuta, porque eu vou escutar?! 
Mas no fundo eu até te entendo, porque se eu fosse você, também iria querer ser eu.

Foi o mel que mamãe passou.
Mas pensando bem,
talvez tenha passado ração!
Vai atrair animais assim lá onde
Judas perdeu as botas viu.

Jeessy B.