05 agosto 2016

Vida-e-jogo.


Mesmo a vida sendo um puro caos, tenho momentos de paz, momentos que de tão meus, são impossíveis de serem detalhadamente descritos, eu tento transmitir um pouco,  mas nada parece ser  suficientemente-suficiente para descrever aquilo que me arrepia, e me enlouquece sem ao menos me tocar.
É um êxtase,  uma sensação tão intensa quanto ter o fogo nas mãos que nunca tive.
Agora mesmo, agorinha senti isso, uma música mudou todo meu pensamento,  toda a minha áurea,  que não importa a cor que estivesse antes,  agora é da cor da minha felicidade,  daquilo que sinto o sabor mesmo sem provar.
É uma loucura,  in(felizmente) poucos sabem do que estou dizendo,  da emoção que é ter seus devaneios borbulhando na mente, e com apenas o toque mais forte da brisa do verão,  tudo mudar, é como ver o mundo girar,  e a vida mudar ou te dar uma direção.

Mesmo a tendo torta, ninguém pode me apontar ou me julgar,  ninguém sabe como é estar no meu lugar, então me deixe errar,  cair,  levantar, aprender a viver. Cada um  expõe sua vida da forma que bem entender, mas para mim, gritar esses sentimentos e sensações além de ser perca de tempo, é perca de vida.

Mas a vida não é de quem já nasce sabendo caminhar,  e sim, de quem engatinha, para depois, mesmo que balançando conseguir se firmar, parar de pé, e conseguir dar os primeiros-de-inúmeros passos.

E digo mais,  em um jogo,  você não pula as fases,  você passa por todas elas, para aprender,  para somar conteúdo,  para se fazer mais forte, para que quando os adversários mais audaciosos cheguem,  você seja bom, melhor ou apenas o suficiente para uma boa partida.

Isso sim é vida.
Isso é a minha vida.
Aprendo hoje para ensinar amanhã.
Quem não quiser usar as minhas experiências para melhorar seus dias,  que aprenda com seus próprios tombos, ouvi uma vez que é melhor não ter que cair para aprender a levantar ,  mas se você quiser, quem sou eu para impedir.


Jeessy Batista .