01 setembro 2016

Meu caminhar.

Que meus caminhos sempre foram tortos não é novidade para ninguém, meus passos,  por mais que sejam firmes, sempre foram desconfiados,  quem muito apanha um dia toma vergonha,  essa é a grande verdade,  e a vida, mesmo tendo teus dias de glória,  não tem nem um pingo de dó de bater.

Já balancei mas não cai,  já tropecei,  me ralei,  me machuquei,  e levantei,  sacodi a poeira, e dei a volta por cima. Muitas,  aliás inúmeras vezes fraquejei.

Desisti,  quis voltar,  fazer diferente,  escolher outro caminho, e escolhi,  Re(comecei).

Mesmo não tendo uma vida perfeita,  sei que hoje meus passos são certos,  firmes,  na direção e no caminho que é meu.
Sei,  eu sei que muita coisa vai mudar, ainda há muita água para passar debaixo dessa ponte que eu chamo de minha vida.
Quem me rege,  me governa, me guia,  também me mostra com os sinais diários,  que desistir não é uma opção viável.
Não cruzo os braços e espero cair nada do céu além da chuva, que ultimamente nem isso tem caído.
Todos os dias,  eu mato os leões das adversidades indesejadas lá fora, Luto contra mim mesma, brigo com meus demônios internos,  com meus medos, e meu inferno astral,  ou menstrual.
E é por esses, e tantos outros motivos,  que eu,  hoje, sou mais forte, como já disse, fiz de mim uma muralha contra os maus sentimentos,  invisível aos olhos obesos,  e livre de todos os pesos.

Jeessy B.