21 outubro 2016

Barco a deriva.

Eu sou imperfeita,  todos somos, mas as vezes,  penso que sou uma pitada grande demais. 
Lá fora,  convivo com gente como eu, e as vezes,  que erram até mais, mas que são de certa forma reconhecidas. 
Já eu, sou apontada. 
E até comparada. 
Não sou como os outros. 
Não nasci para me espelhar em alguém. 
Sou o que nasci para ser.
Claro que com muitas adaptações feitas pelo caminho,  muitos remendos, muita cola, e esparadrapo.
Mas por mais que eu mude.
Me molde ao modo que os outros gostariam de me ver.
E deixe de ser, o que eu mesma gostaria. 
Olho pro lado,  e não vejo o amor das pessoas,  o reconhecimento,  a admiração de quem mais me importa,  não existe. 
Sou um nada.
Vagando. 
Como um barco a deriva sem capitão. 
Sem rumo,
Sem mar.
Sem chão. 
Buscando na imensidão,  alguem que ouse Re(conhecer) seu coração. 

Jeessy B.