27 janeiro 2017

Transparente.



Sempre fui transparente demais para fingir, mesmo pensando que tenho um bom lado atriz,  não pelo fingimento,  mas por saber se adaptar a situação,  saber se colocar no lugar do outro, saber ceder, me adaptar ao modo que a vida me molda.
Nunca vou deixar que os maus olhos consigam me mudar, a não ser que seja  por um maior chamado eu.

Tenho nos olhos a bondade que encanta,  aproxima e afasta muitos.
No coração a lealdade,  a compaixão que falta nesse mundo.
Quero acordar diariamente e me re(conhecer) no espelho, pelo que fui, pelo que sou, pelo que quero e pelo que ainda serei.
Peço,  mas agradeço mais que tudo, na vida,  a gratidão é divina,  e para poucos,  pois poucos não tentam cuspir no prato que um dia lhe alimentou.

Quero ser a diferença,  pelo simples fato de não me comparar, não me rebaixar,  não me humilhar,  um dia,  a cobra a quem eu estendi a mão me picou,  desde então, aprendi a me diferenciar,  viver em comunidade sem me misturar.
Números, elogios,  nada me sobe a cabeça,  porque nas portas da minha vida,  não tem nenhuma placa de vende-se.
Nada vai tirar de mim, a humildade que eu nasci.

Jeessy B.