29 março 2017

Flor que se cheire.

                   

Eu nunca fui flor que de cheire.
Nunca fui a mocinha da história.
Nunca sai como a certa, por mais que estivesse.
Nunca fui considerada a melhor amiga de ninguém.
Nunca fui meiga.
Sou julgada diariamente por uma sociedade que tenta impor que eu viva um modo de vida que não é meu.
Ouço cochichos de gente que não se agrada com a minha presença.
Posso contar nos dedos das mãos quem está por mim.
Vejo os risinhos falsos que tentam me enganar.
99,9% das vezes que discuti,  ou briguei com alguém,  sai como a errada.
Isso tudo por ser transparente demais.

Ser a verdade que muita das vezes esta oculta.
Sempre me res(guardo), me esquivo de palavras e pessoas ruins.
Não grito minha opinião, não falo mal, não tomo partido,  não escolho lado.
E por ser assim, dizem que sempre estou em cima do muro.
Eu prefiro guardar a opinião que tenho, para mim, porque sei que não serei compreendida.
Sempre que escolhi um lado,  no fim me vi sozinha, então de tanto ralar os joelhos,  ganhei jogo de cintura pra aprender a parar de tropeçar.
Aprendi a ouvir os dois lados de toda e qualquer situação,  porque falar até papagaio fala.

Jeessy B.