15 março 2017

Insana.


Cansei de explodir o que pensava e apontar o dedo para me defender. 
Cansei de aconselhar e ser metralhada pelas costas. 
Cansei de sorrir e abraçar, para depois ser mais um nome julgado. 

Não sou sonsa, não sou cínica, sou apta ao deboche dessa meia dúzia de gente, que pensa que eu não sei de nada. Silenciar e observar, é saber como andar no mundo das cobras.
Ao meu redor,  posso contar nos dedos de uma mão os verdadeiros,  os que vem para somar,  e os que não somam,  mas também não tentam diminuir. 

Esses sim merecem minha amizade,  minha companhia,  minha lealdade,  o resto, como sempre digo,  é mero coleguismo.  A vida me ensinou a viver em uma sociedade diversificada,  mas meu bem,  isso não significa que eu tenha que engolir o seu veneno podre.
Porque eu, posso ser dada como louca, mas eu prefiro ser assim,  insana, do que falsa.

Jeessy B. & Joyce Xavier