10 abril 2017

Buscando a felicidade.

Cansei.
É Zé, eu me cansei.
Me entreguei, me joguei de cabeça, como quem não sabe se a parte funda do lago "dá pé", eu me fiz e me refiz, me dei inteira, nua, crua, eu. Pra ele me mostrei como nunca fiz com outro.

Adiantou de que?
Absolutamente de nada Zé, foi como ver uma torneira aberta se esvaindo em água, enquanto isso o ralo fazia uma festa.
Eu, era a torneira, e ele o ralo.

O que me machuca o coração, é olhar tudo o que fiz e não foi reconhecido.
Não, eu não queria uma estrelinha na testa, eu sonhava com a reciprocidade.

In-felizmente há males que vem para o bem.
Eu aprendi aos trancos e barrancos, minha mala ganhou mais um punhado de experiências. E por isso eu até que agradeço.

Tenho passos firmes Zé, e sem que serei recompensada pela minha verdade. Eu tentei, mas não desisti. Pois a felicidade é o que desejo todas as noites antes de dormir.

Cartas para o Zé. - Por Jeessy B.